O Serviço Nacional de Saúde vai voltar a ter uma linha de apoio a idosos. A partir de dezembro, 65 mil pessoas com mais de 75 anos vão receber chamadas semanais do SNS 24. Segundo o último censo realizado pela GNR foram identificados mais de 45 mil idosos a viverem sozinhos, isolados ou em situação de vulnerabilidade.

A Linha Sénior foi criada em Abril de 2014 e chegou a contactar 20 mil pessoas, de duas em duas semanas. Acabou por ser suspensa em Dezembro de 2015 alegadamente pela necessidade de mobilizar recursos para fazer face ao aumento da procura da Linha Saúde 24 devido à gripe. Mais dois anos após o Parlamento ter recomendado a reativação do serviço, a linha de apoio a idosos volta a funcionar.

O principal objetivo desta ação é perceber a fragilidade e vulnerabilidade dos idosos, em articulação com as unidades de cuidados de saúde primários e, em caso de necessidade, com a Polícia de Segurança Pública (PSP) e a Guarda Nacional Republicana (GNR).

Inicialmente, a linha irá contactar, todas as semanas, os idosos que pertencem a dois agrupamentos de centros de saúde nas zonas do Norte e de Lisboa e Vale do Tejo. O programa deverá depois ser alargado a outras zonas do país, podendo abranger até 100 mil idosos.

Para já, a intervenção irá incidir nos cuidados que os idosos devem ter durante o inverno – desde a síndrome gripal às baixas temperaturas, passando pelos cuidados na nutrição e pela prevenção de acidentes. Os identificados como vulneráveis serão convidados a entrar no programa da Linha Sénior.

O caderno de encargos, válido para os três anos de contrato que a Serviços Partilhados do Ministério da Saúde tem com a Altice (operadora vencedora), prevê que possam ser abrangidos por este apoio biopsicossocial até 100 mil idosos.

Para obter mais informação sobre este apoio a idosos reativado consulte a página do SNS 24 aqui.

Pin It on Pinterest

Share This