Maio é o mês do coração, sendo este o motor do nosso corpo. Temos que o manter sempre saudável, controlando os fatores de risco, poderemos reduzir a primeira causa de morte no mundo, sendo esta a meta estabelecida pela World Heart Federation, que espera que em 2025 se consiga reduzir em 25% o número de mortes prematuras causadas por doenças cardiovasculares. Para conseguir isso, recordamos a importância de seis rotinas básicas para manter um coração saudável.

  1. A chave: uma dieta equilibrada. O que comemos influencia de tal forma o nosso corpo que, seguir uma dieta saudável e equilibrada é a primeira medida a ser tomada para controlar fatores de risco como hipertensão, diabetes ou altos níveis de colesterol. Assim sendo, devemos consumir preferencialmente alimentos frescos; garantir que, se comemos produtos processados ​​estes sejam com baixo teor de gorduras saturadas ou hidrogenadas ou açúcares; substitua os doces por fruta fresca, incluindo na nossa dieta cinco porções de frutas e vegetais diariamente; esqueça o álcool ou manter o consumo de bebidas alcoólicas dentro dos limites recomendados pelos especialistas e preparar em casa a comida que levamos para o trabalho para poder controlar melhor o que comemos.
  2. Verifique o nível de glicose no sangue. As doenças cardiovasculares são responsáveis ​​por 80% das mortes em pessoas com diabetes, segundo a American Diabetes Association. É por isso que é importante controlar o nível de açúcar no sangue para que o tratamento adequada seja aplicado. Se esta patologia não for diagnosticada e tratada a tempo, aumenta o risco de doenças cardiovasculares.
  3. Praticar desporto. Ficar fisicamente ativo ajuda a reduzir o risco de doenças cardíacas. Portanto, incluir algum tipo de desporto na nossa rotina semanal é vital para cuidar do nosso sistema cardiovascular. Os especialistas recomendam um mínimo de 30 minutos de atividade física moderada cinco vezes por semana.
  4. Controle a pressão arterial. A hipertensão, um dos fatores de risco cardiovascular mais comuns, é conhecida como “assassino silencioso”. A razão é que é possível que não produza nenhum sinal de alerta na pessoa que a sofre, o que a torna mais perigosa. Daí a importância de controlar a pressão arterial regularmente para descartar episódios que possam desencadear eventos cardiovasculares.
  5. Abandone o tabaco. Um dos fatores de risco cardiovasculares que podemos evitar é o tabaco. Deixar de fumar tem consequências muito positivas que se refletem no curto e médio prazo. Por exemplo, dois anos sem fumar reduz substancialmente o risco de doença cardíaca coronária e após 15 anos, o risco de DCV é semelhante ao de um não-fumador.
  6. Mantenha os níveis de colesterol dentro dos limites recomendados. Níveis elevados de colesterol estão associados a quatro milhões de mortes por ano. Assim, mantendo-os dentro dos limites estabelecidos, afastamo-nos do risco de DCV, impedindo a formação de placas de ateroma na parede das artérias.

Pin It on Pinterest

Share This